ESCOLA DE MÚSICA - ELLAM

CRISTO É UMA QUESTÃO DE OPÇÃO

CRONOLOGIA BÍBLICA

CRONOLOGIA BÍBLICA

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

TEOLOGIA & RELIGIÃO: CALVINISMO

TEOLOGIA & RELIGIÃO: CALVINISMO: OS CINCO PONTOS DO CALVINISMO E AS INSTITUTAS Os Cinco Pontos do Calvinismo, (conhecidos pelo acróstico TULIP, referente às iniciais dos...

CALVINISMO



OS CINCO PONTOS DO CALVINISMO E AS INSTITUTAS

Os Cinco Pontos do Calvinismo, (conhecidos pelo acróstico TULIP, referente às iniciais dos pontos em inglês) são uma síntese dos cânones teológicos definidos no Sínodo de Dordrecht, no âmbito da disputa entre calvinistas e arminianos acerca das doutrinas da Graça e da Predestinação.

Eles refletem a soteriologia típica do movimento calvinista, interpretando a natureza da graça de Deus na salvação da criatura humana. Seu eixo é a afirmação de que Deus é perfeitamente capaz de salvar cada pessoa que Ele tenha a intenção de tornar objeto de sua graça salvadora e que seu trabalho não pode ser frustrado por algo ou alguém que fique no caminho, na tentativa de impedir sua conclusão.
Esses Cinco Pontos são:

• Depravação total do homem;

Também chamada de "depravação radical", "corrupção total" e "incapacidade total". Indica que toda criatura humana, em sua condição atual, ou seja, após a queda, é caracterizada pelo pecado, que a corrompe e contamina, incluindo a mente. Por isso, afirma-se que ninguém é capaz de realizar o que é verdadeiramente bom aos olhos de Deus.

Em contrapartida, o ser humano é escravo do pecado, por natureza hostil e rebelde para com Deus, espiritualmente cego para a verdade, incapaz de salvar a si mesmo ou até mesmo de se preparar para a salvação. Só a intervenção direta de Deus pode mudar esta situação.

• Eleição incondicional;

Eleição significa "escolha". É a escolha feita por Deus desde toda a eternidade, daqueles a quem ele concedeu a graça da salvação. Esta escolha não se baseia no simples mérito, ou na fé das pessoas que ele escolhe, mas se baseia em sua decisão soberana e incondicional, irrevogável e insondável.

Isso não significa que a mesma salvação final é incondicional, mas que a condição em que assenta (fé) é concedida também pela graça de Deus, como seu presente para aqueles a quem Ele escolheu incondicionalmente.

• Expiação limitada;

Também chamada de "redenção particular" ou "redenção definida", significa a doutrina segundo a qual a obra redentora de Cristo foi apenas visando a salvação daqueles que têm sido alvo da graça da salvação.

A eficácia salvífica do Cristo redentor, então, não é "universal" ou "potencialmente eficaz" para quem iria recebê-lo, mas especificamente designada para tornar possível a salvação daqueles a quem Deus Pai escolheu desde antes da fundação do mundo.

Os calvinistas não acreditam que a expiação é limitada em seu valor ou poder (se Deus o Pai quisesse, teria salvo todos os seres humanos sem excepção), mas sim que a expiação é limitada na medida em que foi destinada para alguns e não para todos.

• Vocação eficaz (ou Graça Irresistível);

Também conhecida como "graça eficaz", esta doutrina ensina que qualquer influência do Espírito Santo de Deus é irresistível, superando toda e qualquer resistência.

Quando então, Deus soberanamente visa salvar alguém, o indivíduo não será bem sucedido se tentar resistir.

• Perseverança dos santos.

Também conhecida como "preservação dos santos" ou "segurança eterna", este quinto ponto sugere que aqueles a quem Deus chamou para a salvação, e depois, à comunhão eterna com ele (" santos ", segundo a Bíblia) não podem cair em desgraça e perder sua salvação. Mesmo que, em suas vidas, o pecado os leve a renunciar à sua profissão de fé, eles (se eles são autênticos eleito), mais cedo ou mais tarde, retornarão à comunhão com Deus Essa doutrina é baseada na suposição de que a salvação é obra de Deus do começo ao fim, que Deus é fiel às Suas promessas, e que nada nem ninguém pode impedir Seus propósitos soberanos. Este conceito é ligeiramente diferente do conceito usado em algumas igrejas evangélicas, de "uma vez salvos - salvos para sempre", apesar da apostasia, a falta de arrependimento ou a permanência no pecado, desde que eles tiverem realmente aceito a Cristo no passado. No ensino tradicional calvinista, se uma pessoa cai em apostasia ou não mostra mais sinais de arrependimento genuíno, pode ser prova de que ele nunca foi realmente salvo, e, em seguida, que não fazia parte do número dos eleitos.

Institutas da Religião Cristã
A Instituição da Religião Cristã, em latim Christianae religionis institutio, ou simplesmente As Institutas é a obra principal da teologia de João Calvino.
O livro
O nome Institutas é uma tradução do título original em latim da obra, Institutio christianae religionis. Institutas quer dizer instrução, ensino. Um nome mais simples para a obra poderia ser Ensino Sobre o Cristianismo, aliás, título utilizado em um resumo da obra feito pelo teólogo J. P. Wiles. O nome Institutas portanto não é de forma alguma ligado a instituições de qualquer tipo, como o nome por vezes é erroneamente compreendido e divulgado (a não ser que pensemos na instituição do ensino, mas essa não é a idéia proposta pelo livro).

A primeira edição foi publicada em 1536 em latim. A última edição, totalmente revisada, foi dos 1559. As Institutas são a referência primária para o sistema de doutrinas adotado pelas Igrejas Reformadas, influenciando também outras surgidas na Reforma ou em período próximo. As idéias de Calvino são as bases para o conjunto de doutrinas usualmente chamado de Calvinismo.

As Institutas quando do seu lançamento recebeu um título bem sugestivo para o que pretendia a ser:

Christianae religionis Institutio, totam fere píetatis fummã, & quic quid eft in doctrina falutis cognitu neceffarium, conplectens: amnibus pietatis itudioris lectu digniffimum opus, acre cens editum.

Institutas da Religião Cristã, resumo quase completo da piedade, abrangendo tudo que, quanto à doutrina da salvação, é necessário conhecer; obra seleta e à altura de todos os estudiosos da vida piedosa, recentemente publicada.

Calvino ao escrever as Institutas teve como objetivo criar um manual de instrução cristã, sendo como disse um resumo, dos ensinos doutrinários próprios para a formação de um cristão.

Divisão
Em sua primeira versão contava com a seguinte divisão:
1.Lei
a.Conhecimento de Deus
b.Conhecimento do homem
c.Lei e decálogo
d.Justificação
2.Fé
Credo dos Apóstolos:
a.parte 1
b.parte 2
c.parte 3
d.parte 4
eleição e predestinação
3.Oração
4.Sacramentos
arrependimento, satisfação
5. Liberdade cristã etc.
a.Liberadde Cristã
b.Poder eclesiástico
c.Governo Civil

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

TEOLOGIA & RELIGIÃO: Martinho lutero

TEOLOGIA & RELIGIÃO: Martinho lutero: APRESENTAÇÃO Martinho Lutero o Reformador - Quando o homem esquece o criador perde-se e torna-se banal.   O mesmo ocorre com a socied...

Martinho lutero


APRESENTAÇÃO


Martinho Lutero o Reformador


- Quando o homem esquece o criador perde-se e torna-se banal.  O mesmo ocorre com a sociedade que despreza o criador, ela estará fadada a afundar no esgoto de suas próprias intenções. 
- É o que vimos na sociedade do tempo de Martinho Lutero; Deus era pintado como um ancião sisudo belo porem apavorante em seu olhar, lhe foi atribuído característica opressora, era concebido e visto como um cavaleiro montado em seu cavalo espalhando terror e vingança onde houvesse desagrado de sua parte, punia a todos aqueles que não o obedecesse, era um deus vingativo um cobrador indiscriminado, chegava a ser desumana em suas ações, punitivo e irado, os homens que não andassem segundo os seguimentos da igreja a qual o representava através da figura máxima papal, eram em conseqüências considerados hereges e dignos de morte, este era o deus pintando pela igreja.
 - Assim as indulgencias eram cobradas aos que pretendesse lograr os benefícios de Deus, e todos aqueles que não participassem do entravo estaria sujeito e destinado ao abismo, o purgatório, onde não fossem socorridos pelos familiares vivos estariam propensos a serem conduzidos para o inferno.
- Quando mentes estúpidas e interesseiras são colocadas no poder, podemos vê as danificações e os prejuízos causados pela opressão no meio social, é quando a lama imunda e degenerativa transparece, estará essa sociedade fadada a presenciar e vivenciar a decadência moral.
 “Foi nessa sociedade que nasceu e cresceu Martinho Lutero”

                                                                                                                       Smodger Silva

                                                                         PARTE I

– Em todos os momentos da historia nos humanos somos os mesmos homens, e carregamos os mesmos hábitos e vícios, temos tradições diferenciadas é verdade, todavia usamos algo incomum e inerente em todos à loucura da guerra, é bom se frisar que uma guerra não se caracteriza só quando é tradava nos campos de batalhas, Não – Ela começa dentro dos lares, da rua em que moramos, do bairro onde residimos, da nossa cidade, do nosso estado e de nossa nação, estende-se e vai além das fronteiras, e cadeias do imaginável.

- Não poderei também de deixar implícita a religião, englobando todas as suas ramificações religiosas, que para nossa infelicidade vemos ser absolvida pela ambição do poder, mescla-se e envolver-se com a política (que ultrajante quadro é este que vivenciamos); Em conseqüência destas absurdas situações podemos verificar o surgimento e a ascendência de novas denominações dotadas das mais variadas formas e de gosto personalizado, os fatos encontram-se escancarados, tudo estar determinantemente delineado, a ponto do que o que vemos hoje em nossa atualidade, é o retrato fiel do passado, é a maldita ambição camuflada nas mais variadas formas.

- Mudaram-se as estações, os tempos, os homens, os territórios porem as intenções do homem em nada mudou. - As buscas são as mesmas possuem até direi característica diferenciada porem se olharmos a fundo, perceberemos que as intenções não mudaram, elas são as mesmas produzidas no passado; Tornou-se um fato comum a palavra ser sufocada, e ter seu espaço reduzido e sua essência alterada pelos mais variados interesses e motivos, sendo realizados nas mais diversas áreas seja ela: pessoal ou comunitária. Podemos perceber que são diversos os interesses que envolve a questão.

- A liturgia nas igrejas já não é mais a mesma seu enfoque não é o mesmo, o que temos é uma tênua lembrança da real liturgia, sacrificam e até adulteram a sua forma, é um mover indiferente a verdade de Deus, ultimamente as causas que nos leva a estes paradoxos são múltiplas e os motivos nos já são aparentes e retratáveis.

- A causa e o motivo do nosso atoleiro estar na ausência do respeito, na falta da ética, e o uso de uma política nefasta que corrói, que esfacela e subjuga, onde se realizam no uso dos iletrados e incapacitados de raciocínio lógico, é o abuso indiscriminado da crença e da fé alheia, é  a manipulação dos incultos e desavisados, com tudo isto cria-se uma multidão de adeptos e prosélitos, onde são incapacitados de verem que são meros fantoches usados na mão de uma minoria dominante, que divulgam os desejos de Deus e se alto denominam donos da verdade absoluta, tem aqueles que já são proprietários da vontade e da mente de Deus.

- Em quem poremos a culpa?  Deve por ventura a culpa recair sobre a sociedade do passado? Não ela já pagou sua divida e muito caro por sinal pelos anos que se manteve apática e concordante com as praticas da época; Hoje temos uma sociedade novamente que é submissa e omissa, portanto ela responsável pelos erros atuais, ela encontra-se inoperante, não questiona e em nada se pergunta, se é certo isto ou aquilo é certo, simplesmente absolvem  o que dito e o que feito, vivemos uma sociedade morta inativa que não busca  não reivindica a conduta correta, não questiona e não procura a verdade.

 - A sociedade sempre foi casuística e usurpadora, é perceptível essa situação quando o fato é tratado por interesses pessoais ou voltado para poucos, é quando podemos observar as casualidades;  Analisando a fundo a saga humana podemos verificar que sempre estivemos e vivemos a sombra da marginalidade, tanto na política, na sociedade e na religiosa, a moral humana sempre esteve na sarjeta, sempre estivemos a margem da imbecilidade em todos os setores (político social e religioso) sempre existiu uma sarjeta por onde escorre as sujeiras,do homem.

- Qual é a causa que nos leva a esta situação? Creio que a resposta possa ser descrita desta maneira: A maior parte da massa humana vivencia e vivencio, a existência de um deus abstrato, até direi fictício, a historia comprova o uso do habito e a maneira em certas civilizações, um deus que serve somente para ser usado e manipulado, é neste estado dentro desta situação que foram reduzindo a essência da palavra do verdadeiro Deus, foram eliminando-a, mudando a sua diretriz encaixotando a verdade, e o que vimos e que vemos ontem e hoje é a ausência de Deus, é o esfacelamento da verdade, adulteração da verdade.
- Foi esse o quadro que Martinho Lutero vivencio, e contra ele lutou afim de mudá-lo. 

- Lutero era alemão e seu nome em alemão era Martin Luther ou Luder, era filho de Hans Luther e Margarethe Lindemann. Mudou-se para Mansfeld, onde seu pai dirigia várias minas de cobre. Tendo sido criado no campo, Hans Luther desejava que seu filho viesse a se tornar um funcionário público; melhorando, assim, as condições da família. Com esse objetivo, enviou o já velho Martinho para escolas em Mansfeld, Magdeburgo e Eisenac,

- Aos dezessete anos, em 1501, Lutero ingressou na Universidade de Erfurt, conta-se que ele era músico e tocava alaúde, possuía sensibilidades extras que o diferenciava dos demais acadêmicos o que levou a receber o apelido de "O filósofo", já musico formado na Universidade de Erfurt, ingressa no curso de filosofia e entre em contato com a filosofia nominalista de Ockham - (as palavras designam apenas coisas individuais; não atingem os “universais”, as realidades presentes em todos os indivíduos, como por exemplo a natureza humana; em conseqüência, nada pode ser conhecido com certeza pela razão natural, exceto as realidades concretas: esta pessoa, aquela coisa),esse sistema dissolvia a harmonia multissecular entre a ciência e a fé que tanto foi defendida pela "Escolástica" de "São Jesus Cristo", pois essa filosofia tinha as unicamente na vontade de Deus, graduou-se bacharel em 1522 e concluiu o mestrado em 1505, sendo o segundo entre dezessete candidatos.

- Por influencia dos pais ingressa na mesma universidade e estuda direito, Porém tudo mudou após uma grande tempestade com descargas elétricas, ocorrida naquele mesmo ano (1555): conta-se que um raio caiu próximo de onde ele estava passando, ao voltar de uma visita à casa dos pais. Aterrorizado, gritou: "Ajuda-me, Sant'Ana! Eu me tornarei um monge!", Tendo sobrevivido aos raios, deixou a faculdade, vendeu todos os seus livros, com exceção dos de Virgílio, e entrou para a ordem dos Agostinianos, de Frankfurt, a 17 de julho de 1505.

Um pequeno pedaço de sua biografia: 

- Conta-se que o jovem Martinho Lutero dedicou-se por completo à vida no mosteiro, empenhando-se em realizar boas obras a fim de agradar a Deus e servir ao próximo através de orações por suas almas. Dedicou-se intensamente à meditação, às autoflagelações, às muitas horas de oração diárias, às peregrinações e à confissão. Quanto mais tentava ser agradável ao Senhor, mais se dava conta de seus pecados.
Johann von Staupitz, o superior de Lutero, concluiu que o jovem necessitava de mais trabalhos, para afastar-se de sua excessiva reflexão. Ordenou, portanto, ao monge que iniciasse uma carreira acadêmica. Em 1507, Lutero foi ordenado sacerdote. Em 1508, começou a lecionar Teologia na Universidade de Wittenberg. Lutero recebeu seu bacharelado em Estudos bíblicos a 19 de março de 1508. Dois anos depois, visitou Roma, de onde regressou bastante decepcionado.[12]
Em 19 de outubro de 1512, Martinho Lutero graduou-se Doutor em Teologia e, em 21 de outubro do mesmo ano, foi "recebido no Senado da Faculdade Teológica" com o título de "Doutor em Bíblia". Em 1515, foi nomeado vigário de sua ordem tendo sob sua autoridade onze monastérios. Durante esse período, estudou grego e hebraico, para aprofundar-se no significado e origem das palavras utilizadas nas Escrituras - conhecimentos que logo utilizaria para a sua própria tradução da Bíblia.
- Além de suas atividades como professor, Martinho Lutero ainda colaborava como pregador e confessor na igreja de Santa Maria, na cidade. Também pregava habitualmente na igreja do Castelo (chamada de "Todos os Santos" - porque ali havia uma coleção de relíquias, estabelecidas por Frederico III da Saxônia). Foi durante esse período que o jovem sacerdote se deu conta dos problemas que o oferecimento de indulgências aos fiéis, como se esses fossem fregueses, poderia acarretar.
- A indulgência é a remissão (parcial ou total) do castigo temporal imputado a alguém por conta dos seus pecados. Naquele tempo qualquer pessoa poderia comprar uma indulgência, quer para si mesmo, quer para um parente já morto que estivesse no Purgatório. O frade Johann Tetzel fora recrutado para viajar através dos territórios episcopais do arcebispo Alberto de Mogúncia, promovendo e vendendo indulgências com o objetivo de financiar as reformas da Basílica de São Pedro, em Roma.
- Lutero viu este tráfico de indulgências como um abuso que poderia confundir as pessoas e levá-las a confiar apenas nas indulgências, deixando de lado a confissão e o arrependimento verdadeiros. Proferiu, então, três sermões contra as indulgências em 1516 e 1517. Segundo a tradição, a 31 de outubro de 1517 foram afixadas as 95 Teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, com um convite aberto ao debate sobre elas. Essas teses condenavam o que Lutero acreditava ser a avareza e o paganismo na Igreja como um abuso e pediam um debate teológico sobre o que as Indulgências significavam. Para todos os efeitos, contudo, nelas Lutero não questionava diretamente a autoridade do Papa para conceder as tais indulgências.
                                                                                                                                                   Fim 

- Como já foi explanado Lutero, o músico filosofo advogado é por motivos persuasivo sabe-se lá a verdade, foi levado a torna-se um monge, e dentro do monastério é conduzido a estudar teologia logo se destaca no conhecimento teológico, e apercebe-se dos discursos e atos contraditórios da igreja e as combate; - Resolve tornar públicas suas idéias e elabora 95 teses, reunindo o mais importante de sua (re) descoberta teológica, e fixou-as na porta da igreja do castelo de Wittenberg, no dia 31 de outubro de 1517.

- Seu descobrimento e seu trunfo foi:  

“A graça de Deus” é um ato de bondade do divino; - A salvação não deve ser comprado, não pode ser vendida em troca de indulgencias, em sua  constatação e perspectiva a salvação é um dom divino operado pela graça ou doada por Deus a cada homem.

- Firme em sua convicção enfrentou a morte e um julgamento, porem segurou sua tese perante a comunidade a igreja e o papa, seu discurso perante a comunidade era, abaixo as indulgencia as compras as vendas, o recado para o papo as bênçãos de Deus para o homem não é objeto de comercio.

 - Sua intenção original não foi separar a igreja, más sim transformá-la, posteriormente os fatos ocorridos o fizera tomar novos rumos e o cristianismo mudar a sua face. (vê sua biografia) 

- Será que nossos dias é diferente ao de lutero 

- Na atualmente qual é a diferença existente ao tempo de Lutero, será que não voltamos aos mesmos hábitos nefastos do passado, será que muitos pregadores da palavra não andam fazendo o uso indevido da mesma, transformando-a numa escrava dos desejos pessoais, é possível vê o uso indiscriminado da palavra, a obrigatoriedade do cumprimento que lhe é imposta, por exemplo:  as distribuições de bênçãos e maravilhas sem limites e sem ética ao bel prazer do anunciante (pregador) virou modismo, todo pregador é uma botija  cheia, é um distribuidor de bênçãos das mais variadas e falar sobre a salvação “eeeeeeeeeeeee” nada é só tome benção. Olhe o quadro: (rosa ungida, sabonete abençoado, ou água ungida, corredor dos 70, na boca do peixe, fatia do bolo abençoado, etc. e etc. e tal), tudo isso ocorre em troca de um deposito financeiro, pode ser o ser todo ou o que você poder ofertar, o importante é que dê, seja lá como for, o importante é dar, estes eu os caracterizo como os mais aloprados.

- Mas existem os disfarçados e estes são em número maior do que os aloprados é um verdadeiro lobo disfarçado, entra na igreja com uma mala cheia de material de venda, começa o culto ele é o mais visível, quando é chegado seu momento, logo imposta a voz e parece mais um apresentador de TV, outros um locutor de rodeio, outro um radialista, ainda temos os metralhadora não deixa a igreja raciocinar, e tem aqueles que faz uso de línguas estranhas como uso de autenticidade da mensagem, se pararmos para procurar outros tipos encontraremos cada coisa que faz medo vê e ouvir.       

- Isto é uso de novas praticas e formulas de vendas de indulgencias, retornamos ao estado passado será que não vivemos em um momento negro da igreja, “creio piamente que a situação é pior que antes” podemos mais uma vez vê a palavra sendo escrava de um sistema facetado, nefasto e maldito, que carrega sobre si o estandarte, e a mesma bandeira do passado, estamos vivendo um cristianismo esfacelado e vejo que caminhamos para a ridicularização do cristianismo cairemos na banalidade e na descrença em um futuro bem próximo, tudo devido as novas praticas vergonhosas realizada nas igrejas evangélicas. 

- Sem querer passar a mão por cima das injustiças cometidas por certos indivíduos (lideres) de denominações e de congregações, onde a escolha ou a separação se dá através de conveniências e até por parentesco isso não é nepotismo, será que essa pratica não existe em nosso meio, abandonaram a verdadeira forma de praticar a separação.  

- Criaram um rebanho consumista e compulsivo edificaram um espírito aleatório ao verdadeiro evangelho anunciado por Jesus, o que vemos hoje é cristãos voltadas unicamente para usufruir bênçãos, mesmo que elas não se cumpram nele, elas tem que acontecer na vida de outrem, mas tem que ocorrer, e se assim não acontecer o culto deixou a desejar. Será que Deus é obrigado a derramar bênçãos nas reuniões?, O que é mais importante a salvação ou bênçãos. – Que tipo de cristão é você adorador ou consumidor.  Esse é o quadro atual de nossas igrejas.

- O evangelho é o anuncio das boas novas vinda de Deus para homem, escravo do pecado, é isso que devemos anunciar nos púlpitos das igrejas, nas praças e logradouros etc.; Nunca o evangelho esteve atrelado ha busca de interesses individuais ou próprios, e nem dos benéficos anunciado cantado e encantado da doutrina imoral e deslavada da prosperidade, e de outros ocultos e danosos (hermanos) cristãos.   

Obs. Não quero falar dos que fazem uso da palavra só para se promoverem socialmente, conheço centenas destes, são os verdadeiros Hipocrates vestidos dentro de um terno, fazendo uso dos púlpitos e tribunas, para promoverem seu ego.

- Sei que todos os elementos negativos aqui descritos foram e são gerados pela ausência do conhecimento de Deus, vivemos em um período onde a barbárie do consumismo da palavra é uma pratica assumida, usada de forma livre espontâneo e descarada, neste ambiente ambíguo e confuso, pergunto onde entra o criador neste processo, onde estará sua palavra, o verdadeiro sentindo da palavra foi afastado a palavra, ela tornou-se um elemento secundário, mesmo que se faça menção da mesma ela é usada de forma adulterada.
- Foi contra essa formula consumista que Lutero lutou, e que muitos sacrificaram e doaram suas vidas pela verdade absoluta.  

– Com Lutero abri-se uma nova visão e uma nova fronteira para o mundo, gerou-se grandes modificações estruturais, surgiram benefícios para todas as populações escravizadas pela falta do saber, ou do conhecimento da palavra; - A palavra popularizou-se e não mas ficou restrita a igreja, com isso a nova dimensão do conhecimento de Deus e do seu amor, foi derramada e espalhada sobre a terra e aos homens.

- Os vitimados e os oprimidos pela ganância e a hegemonia do poder, foram libertos da opressão insensata e ferrenha, da tirania eclesiástica, suas vidas foram iluminadas e transformadas pelo conhecimento da verdade “a Graça de Deus” foi revelada e estendida para todos os homens.
                                                           

                                                                                              PARTE II

- Lutero sufocou a pratica em seu meio, e fez nascer uma nova visão, ATÉ que ela renasceu com uma força brutal novamente, e isto na ponta do nosso nariz, as mesmas praticas do passado estão em uso, só mudaram a capa e a bula. - Por anos a pratica das indulgencias fora em partes sufocadas em nosso meio, - Por anos a pratica das indulgencias fora em partes sufocadas em nosso meio.

- Não falo só da doutrina da prosperidade, falo das mais variadas formulas e formas praticadas por alguns indivíduos, diga-se de passagem tornou-se uma praga dentro das igrejas, não existe um templo que não veja estes usurpadores do evangelho; - A pratica nefasta de extorquir e arrancar o dinheiro do povo, cito e dou como exemplo uma bem popular em nosso meio, a venda de pregação e outros objetos verificadas nos púlpitos das igrejas.

- Não caracteriza ou por ventura não é a pratica da venda da palavra de Deus, que tal este slogan promocional de venda, “comprem” para serem abençoados para serem fortificados e enriquecidos ou que tal esta que diz Deus vai falar poderosamente através da mensagem deste DVD, comprem e vejam, logo após vem o pastor e atesta o pedido a indução do pregados, comprem o material do irmão ajuda abençoa a vida do teu irmão.

 - Digo, Jesus tem misericórdia, muitos andam sem a tua visão, perderam-se e se fizeram confusos, mudaram a real visão da doutrina bíblica, esqueceram-se estes que devemos dá de graça o que de graça recebemos do Senhor. 

- Reacenderam a luz das trevas, no seio das denominações mais conservadoras doutrinariamente, (os protestantes) justamente dentro destas denominações mais separatistas e conservadoras; - Onde o mal parecia haver sido banido, e aparentemente foi, vejo que na verdade ele estava só recolhido e ofuscado, não fora extirpado, hoje ele volta de forma avassaladora a tomar os lugares sacros. Fico triste em vê que estamos dentro de um caminhão, que segue ladeira abaixo, sem freios sem controle totalmente desgovernado.

 - Caminhamos desembestados para as redes do anarquismo, vejo a banalização do cristianismo sendo construída em nosso meio, seguimos na direção onde o cristianismo se tornará uma mera peça folclórica; - O futuro não muito distante nos aguarda, esperemos e veremos.  

Precisamos urgentemente de um novo Lutero
 Com uma nova reforma
E novíssimas teses
                                                                                                                          Smodger Silva